29/10/11

dreamer.

É estranho sonhar com alguém e ficar com a sensação que a conhecêmos desde sempre.
Eu tive essa sensação. Sonhei com uma pessoa, que muito provavelmente não existe, mas eu conheço-a. É ... eu disse: estranho.
Sonhei com um rapaz super querido e daquele género de rapazes que todas as raparigas querem . E uma coisa que eu odeio nos sonhos é que, no momento em que vamos ver/reparar na cara da pessoa, ela desaparece e acordamos. LOL ? -.-
Mas vá, vou falar para essa pessoa. Se existires, avisa tá (?)


Nop, não te conheço. Mas acho que me apaixonei. *weird*
É completamente estupido termos sonhos destes numa altura em que estamos sozinhos e precisamos de alguém. Assim, ficamos a precisar ainda mais de alguém. Boa, muito boa. -.-
No meu sonho, conhecíamo-nos na escola (YEY ! -.-) Parecia uma daqueles filmes super fora de moda. A velha história de pôrem 'gentilmente' o pé à nossa frente e PUMBA ! damos alta trambolhão e fica tudo a rir. Até aqui, normal . Depois aparece-nos um rapaz (com pinta de quem é desportista e super popular), pega nos livros, que entretanto ficaram espalhados à nossa volta, e ajuda-nos a levantarmo-nos. Ficamos super envergonhadas, porque, apesar de ter sido querido, pensamos que sentiu pena de nós (e provavelmente estamos certas). Ficamos completamente à toa quando ele nos pergunta 'Estás bem?' e, de cabeça baixa, pensamos 'CLARO! Acabei de cair, estou super bem, nao achas ?! -.-' mas, quando levantamos a cabeça para olhá-lo nos olhos e dizermos isso , esquece ... Ficamos perdidas no olhar dele e só conseguimos balbuciar 'Si-sim ...' Gosh, parecemos umas atrasadas.
Depois desta linda demonstração de estupidez por parte das raparigas, ela tenta reaver os livros e pôr-se a andar. Mas ele não deixa e, como é rapaz e tem mais força, afasta-nos e pergunta 'Posso levar-te à sala?' Só uma burra é que diz que não. E só uma burra é que responde logo. Pois ...
Enfim, ele acompanha-nos à sala e dá-nos os livros. A seguir dá-se um dos silêncios mais embaraçosos que provavelmente te vão acontecer na vida. Ficam a olhar um para o outro, sabendo que, aos olhos dos que passam, parecem tótós, mas não têm vontade de se irem embora. Querem ficar juntos mais o tempo. Coisa que acaba por terminar rápido, visto que toca a campainha e ele tem aulas do outro lado da escola. Despedem-se e, no resto das aulas, ela fica a pensar nele.
Ao sair da escola, vê-o, parado à saída a olhar na sua direção. Ele começa a dirigir-se a ela e ela fica super nervosa. Ele deve ter um detetor de nervosismo ou coisa parecida, pois sorri, como se estivesse a gostar. Ela cora. Ao chegar à beira dela, ele pergunta 'Podemos, tipo ... Sei lá, encontrarmo-nos logo?' Tipo, daah. A rapariga fica logo 'OH MEU DEUS! ELE ESTÁ A CONVIDAR-ME PARA SAIR. COM ELE!!!' , mas só responde 'Se quiseres ...' BURRA! Óbvio que quer, senão não perguntava. Marcam a hora e o lugar. Mais tarde, ao contares a uma amiga o que aconteceu, ela diz que o conhece. Não percebes, pois não disseste o nome dele (até porque nao sabes), mas, de certa forma, ela conhece-o. Perto da hora de saíres para o encontro, ouves a campainha da porta. Vais ver quem é e ficas petrificada quando vês que é ele. Meia parva perguntas 'Como é que sabes onde moro?'. Ele faz um olhar estranho, sorri e diz que foi a tua amiga. Ficas cheia de perguntas na cabeça, mas preferes ficar calada. Saiem juntos e perguntas para onde vão. Ele não diz. Confias nele e, mais tarde, apercebes-te que ele te está a levar para a praia. Quando chegam o sol está naquele exacto momento a pôr-se, criando um céu laranja e rosa. Vão para as rochas e ficam calados, sentados a olhar para o mar, até que ele diz 'Amo-te. Desde que te vi' Não sabes o que dizer, mas quando ele olha para ti, sai-te um 'Eu também' E apercebes-te que é verdade. Ele aproxima-se e dá-te um beijo. Quando se afastam, chegou a altura de reparares bem na cara dele e ... Acordas com o raio do despertador.

Yap, comigo foi assim.

Sem comentários:

Enviar um comentário